segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Vinte Anos, Já é Uma Boa Caminhada

Muitas coisas importantes aconteceram na História no dia 30 de dezembro. Vou aqui relatar algumas que mais me interessam. No dia trinta de dezembro de 1898 nasce no Brasil o escritor e antropólogo Luís da Câmara Cascudo. A Guerra das Rosas, por exemplo, é outra delas. A criação da União da República Socialista Soviética, aprovada pelo Congresso dos Sovietes em 1922. Em 1924 tem-se confirmado a existência de outras Galaxias por Edwin Hubble. De repente, em 1944 é registrado 44ºC Negativos em Washington. Em plena Guerra do Vietnã, o Vietnã do Norte, sente-se aliviado com a paralisação dos intensos bombardeios pelos Estados Unidos em 1972. Ano seguinte, fica estabelecida as relações diplomáticas entre o Vaticano e Israel. Já em 1988 foi preso e acusado de corrupção o genro de Leonid Brezhnev, o soviético Yury Churbanov.

Porém, o fato Histórico mais importante que aconteceu na História recente, não foi bem um fato da história coletiva, todavia determina ainda hoje minha lide, meu cotidiano. Quinta feira, aproximadamente 16:00h, em Fortaleza no dia 30 de Dezembro era Celebrado o meu Casamento com minha amada Simone Gadelha.

Que esta data fique para sempre registrada nos anais da coletividade, para compensar os Vinte Anos de cumplicidade, de companheirismo e de algumas outras coisas não tão harmônicas, mas inerentes na convivência humana. Trinta de Dezembro. Fica Dito e Registrado!

domingo, 29 de dezembro de 2013

Acessos Globais da Polis Local


Compartilhar com outras pessoas as ideias que habitam minha mente, é algo que me fascina. Saber, de repente, que em outros ares alguém lê o que penso, me estimula a pensar melhor, no tratar das relações humanas.

No primeiro momento em que as percepções de amplitudes globais chegaram a mim, me deixaram repleto de alegria e estupor. Saber que Minhas ideias desfilavam além do Brasil, pelos Estados Unidos, Rússia, França, Portugal, Alemanha entre outros.

Sempre voltado para os acontecimentos da política e da sociedade local, com raríssimas exceções, relatando questões globais. Todavia meu segundo espanto veio recentemente ao analisar a origem dos acessos na Polis Antenada. Descobri que a Malásia lidera os acessos à Polis, perdendo por pouco, apenas para o meu Brasil.

Será que existem explicações para tal acontecimento? Será que de repente irei visitar a Malásia?

sábado, 28 de dezembro de 2013

O “é Nós” da Galera e o Megulho do Governador



Um dos pressupostos da galera midiática é a espetacularização virtual da vida. O “é nós” está reproduzido minuto a minuto em cada gesto ou muganga da adolescência tecnotrônica. Tudo é retratado e postado instantaneamente nas redes sociais para imprimir identidade.

O dialeto “internetez” é tão forte entre a galera, que em muitos casos, apresenta dificuldades múltiplas de compreensão. Todavia, o deleite da rebeldia juvenil está na instantaneidade midiática.

Na carona midiática das redes sociais estão presentes os desejos de sucesso, a torcida pelo artista preferido e a propagação do que se vê na TV, além dos encontros coletivos previamente marcados.

Recentemente aconteceram grandes encontros de jovens da periferia em “Shoppings” paulista, na onda da inclusão social, meio que reivindicações de Junho, fazendo barulho, querendo usufruir das benesses do capital. Talvez por falta de espaços públicos para o lazer ou se fazer presente, a rebeldia periférica em busca de ser vista, migra para o centro das atenções contemporâneas, almejando alguns minutos de visualizações, mesmo que para tal, tenha que provocar o “terror” entre os permanentes visitantes das inacessíveis vitrines da moda, sem nada levar.

Na última segunda feira – 23, o governador cearense, Cid Ferreira Gomes (PROS), também entrou na onda juvenil da instantaneidade midiática e caiu literalmente na adutora, refrescando-se do calor, e tentando resolver um probleminha na tubulação engrenada no município de Itapipoca, antecipando assim, a espetacularização da inauguração programada.


video

O “é Nós” da Galera


Um dos pressupostos da galera midiática é a espetacularização virtual da vida. O “é nós” está reproduzido minuto a minuto em cada gesto ou muganga da adolescência tecnotrônica. Tudo é retratado e postado instantaneamente nas redes sociais para imprimir identidade.

O dialeto “internetez” é tão forte entre a galera, que em muitos casos, apresenta dificuldades múltiplas de compreensão. Todavia, o deleite da rebeldia juvenil está na instantaneidade midiática.

Na carona midiática das redes sociais estão presentes os desejos de sucesso, a torcida pelo artista preferido e a propagação do que se vê na TV, além dos encontros coletivos previamente marcados.

Recentemente aconteceram grandes encontros de jovens da periferia em “Shoppings” paulista, na onda da inclusão social, meio que reivindicações de Junho, fazendo barulho, querendo usufruir das benesses do capital. Talvez por falta de espaços públicos para o lazer ou se fazer presente, a rebeldia periférica em busca de ser vista, migra para o centro das atenções contemporâneas, almejando alguns minutos de visualizações, mesmo que para tal, tenha que provocar o “terror” entre os permanentes visitantes das inacessíveis vitrines da moda, sem nada levar.

Na última segunda feira – 23, o governador cearense, Cid Ferreira Gomes (PROS), também entrou na onda juvenil da instantaneidade midiática e caiu literalmente na adutora, refrescando-se do calor, e tentando resolver um probleminha na tubulação engrenada no município de Itapipoca, antecipando assim, a espetacularização da inauguração programada.
video

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

2014 é o Mote


Como está escrito na canção: “este ano quero paz no meu coração”, mas que a paz buscada não esteja no comodismo social das aparências burguesas, que a paz sonhada seja resultado das lutas incansáveis. Ano novo, iniciam-se novas caminhadas em busca da felicidade que nem sempre buscamos com intensidade.

Novas promessas vazias e evasivas propagadas na virada do ano sem, no entanto, mudar o rumo trilhado. 2014 desnuda com novas expectativas de futuro, mas é preciso construí-lo agora. Talvez você até comente, como é que a pessoa que nem está nas ruas, cobra luta dos outros?

Não é por conta da Copa que 2014 será a vanguarda da irreverência juvenil. É imprescindível que busquemos nas lutas, melhores dias e que as diferenças sociais e raciais sejam minimizadas para que não tenhamos seres humanos solidários apenas nas festas natalinas. Faz-se necessário a implementação da Democracia Direta como direito cidadão em detrimento do voto obrigatório e privilégios privados.

Ano novo e novas lutas por uma Educação Pública de Qualidade Social e Isonômica através da CONAE 2014 (Conferência Nacional de Educação), com a árdua tarefa de pressionar o Congresso Nacional para que respeite as deliberações tiradas na Conferência e implantar de imediato os 10% do PIB na Educação, valorizando assim, os professores com salários, carreira e formações dignas. Se grande parte dos atuais “políticos” propagam-se favoráveis à Educação, então é fazer valer suas propagações.

2014 não pode ser apenas mais um ano de eleições, em que os oportunistas desçam de “paraquedas” nas comunidades e levem consigo as esperanças do povo. Século XXI – tempo das tecnologias – promete mais que um simples novo ano. Façamos valer a nossa força, nossa voz!

Adelante”!

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

O Intocável do Pirulito e Suas Falácias


Sabe aquele Deputado, que sonhava ser vereador, quando Luizianne Lins era prefeita? Pois é, ele continua perdido entre suas elucubrações. Acreditava eu, que tal pessoa perderia de vez sua identidade pós gestão Luizianne, mas agora desconfio que ele não sabe mesmo o que é ser parlamentar.

Pois não é que para ganhar espaço na mídia, o tal senhor vive falando da existência de um grupo Petista que aguarda a hora da virada para vaiar o prefeito de Fortaleza. O pior é ver que a parcialidade da mídia, nem percebe que quando vaiaram a presidenta Dilma, este mesmo senhor “estava na torcida”, porém quando as vaias migram para seus superiores, fica dolorido feito “menino besta” quando cai no chão seu pirulito sabor uva.

Não querer aceitar a opinião pública, nada mais é que negar o direito da massa se manifestar. É só analisar os resultados da pesquisa de opinião pública sobre a administração do prefeito Roberto Cláudio (PROS), para constatar que o povo fortalezense não anda satisfeito com a gestão do prefeito, que disse fazer algo, mas está fazendo pelo avesso. O que justificam as prováveis vaias, senhor parlamentar, são as ações negativas de destruição da coisa feita.

A ex-prefeita de Fortaleza deixou alguns postos de saúde funcionando três turnos e creches em tempo integral. Porém, a gestão que não pode ser vaiada, fechou o terceiro turno dos poucos postos e eliminou as possibilidades de mães trabalharem, ao acabar com as creches de tempo integral, e o senhor ainda acha que as vaias de que tanto fala, são apenas reflexos da insatisfação partidária?

Então, é Natal?


O corre-corre antecipando o Natal se fez frenético nas lojas do consumismo, onde muitos sem noção da data, mesmo se dizendo cristãos mantiveram as aparências do ter. Ter amigos, ter prestígio capital, ter dívida permanente como premissa de vida.

Jesus, quando por aqui passou, esteve presente no meio do povo humilde, das prostitutas, dos infelizes, revolucionando o caráter humanístico do ser social, que atordoado na mais valia, nem se apercebe como tal.

Durante o ano inteiro predomina o caráter individualista do ser, que no Natal, se deixa aflorar pela solidariedade temporal, mas não percebe nas praças e ruas da cidade, seus eternos moradores desprovidos da dignidade humana e segue a trajetória, rumo à Missa do Galo, exercendo o papel cristão?

sábado, 21 de dezembro de 2013

O Aumento de Impostos como Presente de Ano Novo?


Os novos gerentes municipais estão aproveitando os festejos de final de ano para aplicar medidas impopulares àqueles que lhes delegaram tal poder. Em Sampa, Fernando Haddad (PT), foi impedido pelo STF que barrou aumento escalonado de até 35% do IPTU paulista.

Já em Salvador, ACM Neto (DEM), não foi tão generoso com o povo Soteropolitano e demais moradores, aumentando em até 300% o tal Imposto (IPTU). Aqui em Fortaleza, o prefeito Roberto Cláudio (PROS), contando com a subserviência de grande maioria da câmara municipal, no apagar das luzes, não teve pena nem dó, aumentou o IPTU taxando aqueles mais humildes.

A justiça que foi implacável em Sampa, precisa agir com veemência contra a tamanha ganância dos insaciáveis gestores tanto em Salvador quanto em Fortaleza. Defender os direitos dos trabalhadores é fundamental para o fortalecimento da democracia.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

O Fazer Política é Imperativo


A priori, a política deveria ser a arte da completude humana, a busca da ética social no sentido de garantir a felicidade da coletividade cidadã. O fazer política deveria ser imperativo a todos os seres humanos e nunca à imposição da força autoritária dos ilustres mandatários da moral burguesa. Mas as ambições particulares tiraram o caráter científico do fazer política. Parafraseando Rousseau (1), “O homem nasce bom, o meio é que o corrompe”. Assim caminha o agir político contemporâneo. A busca pelo poder é determinantemente fascinante. Sempre os mesmos no comando do gerir as ideologias e deturpar os sonhos e as ilusões do povo que sempre acredita na sofística quimera propagada antes das eleições.

O agir cidadão no campo da liberdade está intrinsecamente ligado à moral particular e deveria regular as normas de conivência social. Aqui cito Kant (2): “Duas coisas me deixam maravilhado, o céu estrelado acima de mim e a lei moral dentro de mim”. Se os atuais agentes da política contemporânea dedicassem o mínimo possível à moral particular, quem sabe, existiria ética no espaço público do praticar política.

Todavia, a “políticalha”, o fazer doentio da política, tomou conta das concretudes gerenciais e parlamentares nas Terras Brasilis, onde as relações tornaram-se voláteis e temporais. Para manter-se no comando, alguns dos atuais detentores do poder são capazes até de dormir com o inimigo, barganhando apoiamento, numa deslavada relação do toma lá dá cá.


(1) Jean-Jacques Rousseau – importante filósofo suíço, defensor do Iluminismo.
(2) Immanuel Kant – filósofo alemão

domingo, 15 de dezembro de 2013

E De Repente, o Eleitor Paga a Conta


O governador Cid Ferreira Gomes (PROS) vive a euforia das horas finais de mandato e corre contra o tempo para garantir o que prometeu. O tempo é inimigo do agora e não sobra nada para além das prioridades. Todavia, sua obstinação pelo “aquário” permanece, mesmo custando os olhos da cara do freguês. As ditas obras de mobilidade ficarão na sua grande maioria para o próximo governante, pois os entraves não permitem as correrias e as eleições já não demoram mais.

Os índices de aprovação do senhor governador não são dos melhores, se comparados aos do ex-governador Tasso Ribeiro de Jereissati (PSDB), a quem Cid propaga que seja o maior político vivo da história cearense. Realmente, o governo das “mudanças”, deixou contribuições relevantes para os cearenses, ninguém pode negar, mas não promoveu o progresso para todo o povo que padece as mazelas do capital. Também não se vê transformações aparentes na vida do povo cearense nestes últimos sete anos de governo Cid Ferreira Gomes. No sertão, as estiagens continuam e ampliam as agruras daqueles que esperam cotidianamente pelas ações divinas, pois nada foi feito para superar as intempéries da natureza, promotora da seca e do “voto de cabresto”.

Os gerentes foram mudando, mas as práticas governistas permanecem as mesmas, com interesses particulares de permanência eterna no poder. Entretanto, algo soa diferente nos acordos para as novas eleições, que permanecem aos modos coronelísticos. A distribuição de cargos fala mais alto e de repente sedem-se as pretensões em nome da tal governabilidade e apoiamento. Pelo visto, os pretensos candidatos ao executivo cearense serão fruto de acordos particulares, sem contar com o povo que apenas será convocados para votar.

Sem perspectivas de transformações sociais e sem ideologias, segue atordoado o povo diante dos acontecimentos que pouco lhe trazem benefícios, mas que as promessas seguem firmes no apertar de mãos, nas caminhadas pré-eleitorais que não tardam a chegar.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

As Contradições Dialéticas do Eu


Apesar de vivenciar a mais ampla modernidade do comportamento humano contemporâneo, sinto-me perplexo como ainda agimos em determinados momentos, como se estivéssemos na Idade Média. Talvez seja pelas circunstâncias do capital, todavia estamos distantes da propalada contemporaneidade, pois investimos muito nas relações dos estereótipos globais e pouco ou quase nada estamos construindo como base dialética de convivência social.

A capacidade de compreensão humana precisa dialeticamente de força para acreditar em si própria e caminhar rumo ao novo modo relacional, construindo mecanismos concretos da formação intelectual para sair da pasmaceira do ouvi dizer. Buscar a verdade a partir de métodos confiáveis, dará segurança na trajetória da ciência. Compreender que o universo humano exige horizontes complexos que ultrapassem a nossa vã filosofia de vida, mas que favoreçam a maturidade do eu.

Se no capital existe um grande processo alienante, o ser real precisa construir condições reais para efetivar-se como consciência de si e transformar a realidade alienante numa subversão social, mesmo que as condições econômicas influenciem indiretamente nas condições materiais. A ação da consciência efetiva do eu implicará nas relações sociais cotidianas e a produção do fazer-se humano efetivará o novo homem.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Os Acordos de Interesses Privados da Política


Quando criança, sem nada entender de política, já observava meu pai falar que tal candidato, teria sido indicação de um determinado “chefão” da política local. Fui crescendo e percebendo que a política é parte integrante do cidadão. Também compreendi que tais indicações faladas pelo meu pai, continuavam, mas daí, já entendia que vivíamos numa ditadura militar e não podia me opor.

Veio a Anistia política, e o Congresso Nacional derrotou a Emenda Dante de Oliveira, a eleição continua indireta, porém, surge nos ares da liberdade o raiar do novo dia. Cai o “Muro de Berlim”, reunificam-se as Alemanhas, Gorbachev decreta a Perestroika e a Glasnost. E de repente o mundo político ficou atônito, Fukuyama fala em o fim da História.

A democracia mostra a cara e alegra muita gente, todavia, continuo perplexo diante das ações comportamentais dos atuais dirigentes políticos e agremiações partidárias. Acompanhando as últimas eleições percebo que muito se caminhou rumo à democracia, mas ainda continua as indicações tiradas do bolso dos “xerifes” e impostas à sociedade votante. Os acordos são em sua grande maioria, a portas fechadas e de interesses privados. A política que deveria ser do povo, fica restrita às minorias mandatárias.

2014 já vem chegando e com ele as eleições de cartas marcadas? No contexto geral temos o oportunismo determinando as indicações, pleiteando cargos e impondo nomes. No Rio de Janeiro, o atual governador, mesmo sem prestígio diante da população, impõe o nome do seu Vice-Governador: Luiz Fernando de Souza Pezão quando o pre candidato do PT, atual Senador Lindbergh Farias, desfila nas cristas das ondas da aprovação popular. Aqui no Ceará, existem muitas especulações e pretensões de nomes para ocupar o palácio do governo.

O Senador Eunício Oliveira propaga seu nome nos grotões cearense, o PT se diz aliado do governador Cid Gomes e acata o nome palaciano, mas existem em seu seio uma rebeldia dizendo que o Partido terá candidatura própria. Muitas águas ainda vão rolar debaixo das pretensões locais e o pior é constatar “que apesar de termos feito, tudo que fizemos , ainda somos os mesmos, e vivemos como nossos pais...*”

* Como Nossos Pais - Belchior